A necessidade de prevenção específica

A prevenção específica concentra-se em indivíduos identificados como tendo factores de risco que os tornam mais propensos a problemas de droga, por exemplo a Síndrome de Hiperactividade/Défice de Atenção (ADHD). Contudo, só a Alemanha e a Suécia mencionam medidas de prevenção da droga destinadas aos jovens com ADHD. Na Alemanha, as actuais estimativas da prevalência da ADHD sugerem que 2 a 6% das pessoas entre os 6 e os 18 anos sofrem desta síndrome, o que a torna num dos quadros clínicos crónicos mais comuns entre crianças e jovens. Na Suécia, a estratégia preventiva para estas crianças inclui formação cognitiva e social, sendo as suas metodologias divulgadas através da formação de profissionais em prevenção. Como quase todas as crianças em idade pré-escolar são abrangidas pelos cuidados de saúde primários e a maioria frequenta a escola primária, foi possível identificar a maioria das crianças em risco através de um rastreio sistemático e de intervenções individualizadas subsequentes.

O Plano de Acção italiano dá grande importância às condições psicopatológicas e aos problemas comportamentais graves em crianças e adolescentes que possam indiciar um possível consumo e abuso de drogas, se forem ignorados numa fase inicial. Entre os problemas identificados figuram os problemas comportamentais; a hiperactividade e o défice de atenção; a ansiedade acompanhada de perturbações do humor; a bulimia e a obesidade psicogénica; os distúrbios de personalidade; os problemas de comunicação interpessoal; as perturbações de stress pós-traumático e os ataques de pânico. Tanto as abordagens de prevenção universal como as de prevenção selectiva são consideradas respostas possíveis.